quinta-feira, 16 de março de 2017

How I met your mother

No outro dia, no comboio, iam à minha frente duas adolescentes, com as suas pastinhas e mochilas, com todo o ar de quem acabou um dia normal de aulas na faculdade. A típica conversa entre amigas, as intrigas de ex namoros, do diz que disse, quem respondeu à mensagem, não respondeu, "devias ver a foto que pôs no facebook", "amanhã vou fazer assim e assado e vai ver só", etc. A única originalidade, é que falavam de gajas. E toma, aí está, 2017 e a homosexualidade vivida da forma mais natural que se possa imaginar, e eu até me fico a sentir estúpida de ter um nome para diferenciar isto, porque nem nome devia ter.

E a meio de todo o drama que é o romance adolescente, liga uma das mães. E eu viajei no tempo e imaginei, em que mundo viverei eu daqui a 18 anos, com a minha cabeça anos 80? Socorro.

2 comentários:

  1. Mesmo! Tenho +40 e, por vezes, parece-me tudo já muito à frente para a minha adolescência.

    _ _ _ _ _ _ _ _ _ _
    Ana Teles | blog: Telita LifeStyle • Facebook: Telita LifeStyleBlogs Portugalfeedly


    ResponderEliminar
  2. De tudo isto, fiquei feliz por essas meninas irem a conversar sobre essas coisas sem constrangimentos. Precisamente porque acredito que não é nada de mal ou que deva haver essa reserva. Qualquer adolescente heterossexual o faz sem pudor, ainda bem que os adolescentes homossexuais se sentem com o mesmo à vontade! É muito bom sinal para o país em que vivemos.

    ResponderEliminar

Digo eu de que: